26/07/2016



"Ao fim"






Viver é uma questão de pura sorte,
Louca aventura de um certeiro fim...
(De algo tão sério, como a própria morte,
Deus vai perdoar-me por falar assim!...)

De nada valem choro e rezas, nada,
Para escapar do trágico destino...
Num dado ponto dessa incerta estrada,
Sobrevirá, das sombras, o assassino

Que vai levar-nos, sempre à revelia,
Rumo ao encontro de outras dimensões,
Pra algum rincão remoto do Universo...

------------------------------------------------

No palco umbroso de uma lousa fria,
Na mais medonha das orquestrações,
Minha alma insana há de cantar meu verso!...